Alimentação

Instruções e dicas de como alimentar os seus peixes.

Alimentando os seus peixes com artêmias recém eclodidas.

Em diversos lugares neste site, vocês poderão ler que os alevinos devem ser alimentados com artêmias recém eclodidas ou com náupilos de artêmias, que é um sinônimo. Mas como conseguir cistos de artêmia e o mais importante, como estes devem ser servidos aos peixes?

Neste texto irei explicar o processo para que vocês também desfrutem das grandes vantagens de alimentar os seus killies com náupilos de artêmias. Na verdade, se alguém quiser realmente reproduzir killifishes, deverá manter um sistema de eclosão de cistos de artêmia permanente, pois, como não é possível prever com exatidão quando os ovos de killies irão eclodir, náupilos de artêmia deverão estar sempre disponíveis para os alevinos que surgirão.

Antes de mais nada, preciso explicar o que são artêmias e como é possível conseguir seus cistos. Artêmias são pequenos crustáceos, de um centímetro aproximadamente, que vivem em água salgada e que são considerados o melhor alimento existente para peixes de água salgada ou doce. Para quem estiver interessado, uma explicação mais detalhada pode ser encontrada aqui.

Sua reprodução se dá de maneira contínua, quando as condições do seu ambiente estão otimizadas. Caso o ambiente se torne impróprio para sua sobrevivência, com mudanças no Ph, salinidade, concentração de oxigênio ou temperatura, as artêmias começam a gerar cistos (ver imagens ao lado).

Estes cistos são dormentes, podendo ficar neste estado por muitos anos, até encontrarem condições favoráveis e eclodirem. Neste momento é que surgem os náupilos. Para conseguir náupilos a partir dos cistos, bastam 250ml de água limpa, uma colherada de sopa de sal grosso, aeração e luz. No intervalo de 24 a 48 horas, milhares de náupilos de artêmia surgirão, deixando os seus cistos e nadando livremente.

 

 Agora, basta sifonar as pequenas artêmias em um coador de café feito de nylon e lavá- las rapidamente na água da torneira, para tirar o sal. Tome cuidado de não servir muito, pois todo alimento que não é consumido pelos peixes irá se decompor e deteriorar as condições da água do aquário.

Um erro muito comum é exagerar na quantidade de cistos. Coloque um pouco para eclodir na primeira vez e aumente a quantidade paulatinamente, se achar necessário. Cem gramas de cistos rendem muito e a melhor maneira de armazenar grandes quantidade é dentro do freezer de sua geladeira. Não se preocupe, pois os cistos não morrerão. Também não tente servir os cistos diretamente para os peixes. A casca não pode ser digerida e os peixes não se interessarão pelos cistos.

Artigos:

O mistério das Daphnias

Quem teve a oportunidade de ler o artigo que escrevi sobre a criação de pulgas d´água (Criando Daphnias) deve se imaginar como anda a minha criação. Lembram-se dos dois aquários de cem litros cada, com pulgas d´água para dar e vender? Pois é, agora tenho apenas dois potes de maionese com apenas alguns moradores em cada. Como isto aconteceu? Foi tudo muito estranho e para mim ainda é um mistério, apesar de eu ter algumas hipóteses.

Artigos:

Utilizando a Drosophila melanogaster como alimento de killies

As moscas da fruta ou moscas de banana (Drosophila melanogaster) são um alimento que é facilmente aceito pelos killies, pois muitas espécies se alimentam de insetos que caem na água no seu habitat natural. Basta deixar uma fruta amadurecer demais em cima da pia da cozinha para que elas apareçam do nada.

Artigos:

Criando Daphnias

Na minha tentativa de minimizar o uso de ração na criação de killies, bem sucedida até agora, li tudo que pude encontrar na internet sobre criação de Daphnias e resolvi arriscar. Preparei água verde, comprei uma cultura inicial e comecei a minha jornada. Depois disso, já se passou mais de um ano e ainda tenho a minha criação de Daphnias.

Artigos:

Cultura de Daphnias, Moinas e outros Cladoceros

 
 

Artigos:

Cultura de vermes-de-vinagre.


 

Nome científico: Turbatrix aceti (Anguillula aceti)
São minúsculos vermes (1 a 2 mm) que felizmente se mantêm vivos em água doce por bastante tempo. Mas em água doce apenas vivem, mas não se reproduzem.

Artigos:

Criando o besouro do amendoim

Vou tentar passar a experiência que tive ao criar o besouro do amendoim (Palembus dermestoides) para servirem de alimento para os meus killies. Espero que este texto ajude aos que pretendem alimentar killies com comida viva, pois posso garantir que os resultados são excelentes e se os killies pudessem falar, iriam agradecer.  

Artigos:

Subscrever RSS - Alimentação